A Escolhida, de Amanda Ághata Costa

Oi gente!

Preparados para conhecer uma nova trilogia? Pois é, hoje vou falar de A Escolhida, o primeiro livro dessa série de romances fantásticos…

Se vocês acompanham O que disse, Alice? sabem que essa obra é de uma autora nacional, parceira aqui do blog. Mas para quem não conhece, tem um pouquinho sobre a Amanda Ághata Costa, clicando aqui.


A Escolhida tem como protagonista uma garota chamada Ari. Ela tem feições angelicais, mas um desejo e rotina demoníacos, se deleita com a morte e o sangue alheio. É um tanto contraditório, mas é assim que é essa garota. Ela pouco sabe sobre seu passado, sua origem, sua família e até sobre ela mesma, e logo acaba sendo forçada a prestar serviços ao líder de um dos grupos de espécies, os feiticeiros, para que em troca consiga informações sobre seu passado. Egran, o líder, é um tirano e está em busca de algo….assim como ela. 
Feiticeiros, fadas, lobisomens, vampiros, anjos e demônios se misturam nessa realidade. São várias criaturas míticas que coexistem em um mundo contemporâneo – na verdade assim entendi por algumas descrições de lugares, mas não que tenha sido explícito em que época a história se passa. 
E talvez toda essa parte da fantasia, que é dada aos poucos ao leitor, fez com que eu demorasse pra me situar na história, para entender bem a mitologia criada, mas mesmo ficando um pouco confusa nesse início fiquei bem presa, sempre haviam ganchos que deixavam com vontade de querer saber mais, querer conhecer, explorar o novo. O que a autora conseguiu foi fazer com que eu experimentasse um pouquinho da mesma descoberta da personagem principal, pois para a nossa heroína tudo o que acontece é uma novidade. E acho, que inclusive, além da fantasia toda, o tema do livro seria esse, a descoberta de quem ela pode ser e o que ela pode sentir.
A protagonista foi surpreendente para mim. Ari tem uma personalidade forte, uma teimosia enorme, na mesma proporção em que tem encanto, doçura e é até ingênua, se levarmos em conta tudo o que ela está prestes a viver e as situações em que ela acaba se envolvendo. Além disso tudo, ela ainda tem que aprender a confiar em tudo o que é novo, e principalmente nas pessoas e nela mesma. É um excesso de informação para essa menina que, sério, não sei como ela demorou tanto pra surtar, sair correndo e gritar que odeia o mundo, e sei lá mais o que dá vontade na gente de fazer quando a gente precisa dar uma surtada, pra depois assimilar. 
E, é claro que nessa busca toda ela acaba descobrindo o amor – e por vezes o ódio e ciúme também, isso tudo caminha bem próximo, às vezes. Luke, um dos responsáveis por levá-la ao mestre, será também sua maior prova de todos esses sentimentos juntos e misturados. E ele é realmente sedutor e apaixonante…me pareceu um rapaz de feições fortes, com uma personalidade não muito definida, talvez por ser bonzinho demais, mas simplesmente apaixonante!

“Mas tome cuidado Ariali. A paixão é ardente e sensual. Não é difícil ser atraída pelo proibido, difícil é lidar com as consequências de seus atos. Esse sentimento pode ser sua ruína, ou sua salvação.”

Fazer parte do círculo me pareceu, para Ari, a melhor e a pior coisa da vida dela. A fez se conhecer melhor e experimentar sentimentos que jamais havia ousado ou se permitido durante toda a vida, mas também a expôs a algo que ainda não sei o que é, mas não me pareceu nada bom pra ela e a colocou em riscoe  perigo iminentes. 
   Terminei a leitura com um enorme gosto de quero mais. Preciso saber quem é o bem e quem é o mal nessa história toda, e quais são seus propósitos; preciso saber o que o futuro reserva sobre Ari e Luke; e preciso muito saber porque essa garota é tão especial – e especial a ponto de me fazer torcer por ela, pela felicidade dela – embora não eu ainda não tenha plena certeza do que esse sentimento significa. Os personagens são tridimensionais e muito bem construídos, mas vou além…Estamos falando de seres míticos perfeitamente humanos, reais, que poderiam transcender dos livros, pois são passíveis de erros, acertos, sentimentos louváveis e até mesmo deploráveis. Acho que esse é o ponto mais positivo de toda a obra. 

Teve uma pequena e única coisa que me incomodou, mas isso é extremamente pessoal – e sei que sou chata e tenho uma espécie de TOC – que foi os capítulos serem bem extensos. Normalmente o tempo que tenho para leitura é a noite, antes de dormir, e não consigo parar de ler na metade de um capítulo. E isso dificultou principalmente o começo da leitura, até embarcar na história, pois é uma fantasia e acho que nesse gênero, entender bem o tipo de ‘mitologia’ criado é o gancho para a história toda. Mas, como disse, essa é uma mania minha… e não é nada que, no geral, afete o livro – afetava a mim, e à minha loucura. Cadê a camisa de força da pessoa? Brincadeira! 
Recomendo sim, e principalmente àqueles que gostam de fantasias permeadas com um bom romance, tenho certeza que irão adorar. 
O livro, no formato digital poderá ser comprado na Amazon – clique aqui.

“Pude compreender, então, que existem pessoas que surgem em sua vida para mudá-la integralmente. Do início ao fim. Que vão do céu ao inferno para salvá-lo e, depois de tudo, ainda lhe garantem que os dias serão fáceis, o universo é bonito e que você é a razão de tudo isso.”

Se alguém por aí já leu, me contem. 
E  se ainda não leu, aqui fica uma ótima dica.  
Esperando ansiosamente pelo segundo livro, para entender algumas coisas que ficaram pelo meio do caminho! 
Até  a próxima. 
*.*

————— ♠♥♣♦ —————
Sinopse:
Em uma cidade repleta de pessoas desconhecidas, Ari poderia ser apenas mais uma garota dispersa na multidão, como tantas outras que foram abandonadas pelos pais desde a infância. Devido à sua aparente doçura e beleza, ninguém seria capaz de supor que, além de um anjo, ela também é um demônio com sede de poder. Os espertos deveriam manter-se distantes, mas há olhares que não deixam de admirá-la. Egran não desperdiçaria a chance de apoderar-se de habilidades tão interessantes: ela é a escolha perfeita. Entretanto, nem todos se sentem realizados. O círculo seria um refúgio ideal para os demais feiticeiros, se o próprio líder não os tratasse como marionetes descartáveis. Movidos pelo medo e controlados pelo mestre, os componentes do grupo obedecem, sem pestanejar, às ordens recebidas. Ao se ver arrastada para lá, Ari se encontra diante de situações improváveis, arriscando-se a expor mais do que gostaria. Para ela, sentir é algo que sempre esteve fora de seus limites. Não poderia vivenciar qualquer forma de emoção, esta era a promessa. Até que Luke surge em seu caminho e abala as estruturas congeladas, derretendo-as e modelando novos conceitos. O amor realmente fará brotar a alegria? Ou irá arrastá-la diretamente para a morte? O passado obscuro de Ari será o suficiente para fazê-la estilhaçar de uma vez por todas, não restando oportunidades para uma nova tentativa de se isolar do mundo.
Gênero: Fantasia; Romance
Páginas: 360
Ano: 2015


Avaliação

Muito Bom!



Comentários

Comentários

4 Comments