Deadfall – A Caçada, de Anna Carey

Oi, gente!

Já faz um bom tempo que eu li Black Bird e estava enrolando para ler a continuação.

Não é muita gente que conhece essa duplinha. Com um thriller escrito de uma maneira bem diferente do que estamos acostumados, Anna Carey, contou sua história em dois volumes e hoje vou falar par vocês do segundo: Deadfall – A Caçada.

DEADFALL – A CAÇADA

(Deadfall)

Autor: Anna Carey

Editora: V&R

Páginas: 225 / Ano: 2015

#SINOPSE: Há uma semana a garota acordou sobre os trilhos de Los Angeles sem se lembrar quem ela é. E descobriu que faz parte de um jogo. Mas a única coisa de que tem certeza é que estão tentando matá-la. Depois de ter sido traída por seu único amigo, ela foge para Nova York com um garoto que diz conhecê-la. Mas será que pode confiar nele? O que adianta encontrar os outros? Quem são essas pessoas? À medida que a perseguição esquenta, ela vai aos poucos recuperando a memória. Porém, seu passado não pode salvá-la, e um só movimento errado pode acabar com este jogo.

♥♦♣♠

A garota está começando a lembrar. Ao fugir encontra outros como ela e descobre, ou se lembra, de seu verdadeiro nome. Não demora muito para que sejam descobertos e a caçada volta a acontecer, transcendendo a ilha o jogo agora é mais arriscado, com maior adrenalina, os alvos foram espalhados e devem ser encontrados nas cidades.

Lena, esse é o verdadeiro nome da garota, está cansada de fugir e quer aproveitar as poucas informações que conseguiu e ir além, investigar mais e acabar com essa prática terrível. Ela quer se libertar e também libertar aos outros.

“Até onde você sabe, o jogo só acaba quando você morre.”

Ainda enfrentando o problema de não me identificar com narrativas em segunda pessoa, assim como no primeiro livro, demorei um pouco pra me envolver com a história novamente. De qualquer forma, achei que este segunda livro deixa a desejar, com relação à Black Bird – A fuga. Enquanto no primeiro livro a narrativa possui uma ascendência e te prende cada vez mais, em Dead Fall – A caçada você fica na ânsia por mais. É uma narrativa tão linear que mesmo com apenas duzentas e poucas páginas, chega a ser cansativa. Ainda que exista uma trama e um suspense, mesmo com as revelações ou reviravoltas a história não perde essa linearidade, não sobre, nem desce.  A história em si, o argumento, é que tem seu mérito, pois eu achei bem intrigante, nova e interessante.

Mesmo com os altos, baixos ou invariáveis pontos, essa dupla de livros é interessante, mas passam longe de serem meus livros favoritos ou queridinhos. De qualquer forma, a obra tem seu valor e há rumores – bom, já tem um tempo que não ouço falar muita coisa – que estava rolando uma briga de estúdios pela compra dos direitos para adaptação. Quem estava à frente dessa disputa era a Lionsgate, mas confesso que essa é uma notícia de tempos atrás e fui buscar por maiores e mais atuais informações e nada! Então, o que nos resta é esperar e quem quiser se arriscar na leitura, até que é uma boa pedida…

Até a próxima.

*.*

Comentários

Comentários

1 Comment