As águas de março e os livros que nos fazem chorar

Oi, gente!

Mês que chega no fim, Março é conhecido como mês das chuvas. Sempre sendo embalado pela canção composta por Tom Jobim e lindamente interpretada pelo próprio em dueto com Elis Regina, as Águas de Março fecham o verão. E pensando em águas, quem é que nunca fechou um livro e seguiu derramando lágrimas? Pois é, se me disserem que ninguém nunca fez isso, é um sinal que devo abordar esse assunto na minha próxima sessão de terapia!
De qualquer forma, estamos aqui hoje para falar dos livros que me fizeram derramar lágrimas, das minhas “águas de março”. Leituras que se vão e àguas e emoções que ficam.

Tentando não dar spoiller, vou tentar dizer a vocês o que tanto me emocionou nessas leituras.

COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ (Jojo Moyes)

Acredito que praticamente todo mundo saiba o que acontece nessa história, né? Acho que quem não leu o livro, deve ter assistido ao filme, mas de qualquer forma, não vou escancarar o que acontece. O que posso dizer é que mesmo já sabendo qual seria o final da metade do livro pro fim, eu confesso que soluçava e fiquei aos prantos ao terminar a leitura. Criei muitas expectativas de que tudo poderia ser melhor, diferente… e sofri. Muito.

♠ Clique aqui para ver a resenha deste livro.  

PROIBIDO (Thabita Suzuma)

Esta deveria ser uma leitura obrigatória, para que a gente fosse capaz de projetar pensamentos e nos permitir desfazer de alguns preconceitos que temos e nem sabemos. É uma história sufocantemente emocionante e, claro, chorei de apreensão e também por desilusão…tudo sempre tem que acabar bem!

 ♠ Clique aqui para ver a resenha deste livro.  

 

MARINA (Carlos Ruiz Zafón)

Acredito que o meu maior problema, ou a minha sina, em derramar lágrimas é principalmente quando a história caminha para o seu final feliz e na verdade ela nada mais é do que uma história que poderia muito bem estar acontecendo agora, na vida real. Minhas lágrimas vem desse momento, em que chego a esta conclusão.

♠ Clique aqui para ver a resenha deste livro.  

 

 

A ÚLTIMA CARTA DE AMOR (Jojo Moyes)

O amor emociona. O amor te faz sorrir, mas honestamente é fonte das mais ininterruptas lágrimas de nossas vidas. Essa história de encontros e desencontros me deixou com o coração tão apertado que derramei lágrimas durante boa parte da leitura. Acho que diferente dos outros livros aqui citados, que eu terminava, fechava, abraçava e chorava descontroladamente, nesse as lágrimas foram mais contidas, porém durante um maior espaço de tempo!

 

UM DIA (David Nichols)

Eu realmente acredito que o livro certo deve ser lido na hora certa, sabe? Esse livro me fez companhia durante um tempo meio difícil da minha vida – após um pé-na-bunda! – e me envolvi de uma maneira incrível com a leitura, com Emma e Dexter e sua história. Tanto me envolvi, que também sofri!

A CULPA É DAS ESTRELAS (John Green)

Que esta história é triste acho que todos sabem, mas que ela me pregou uma peça… ah sim! Bom, sem spoillers, chorei. Chorei muito. Estava no metrô quando as lágrimas irromperam, indo ao trabalho, não tinha lugar para sentar, mas eu chorava tanto que uma senhora me ofereceu o seu lugar, perguntando se estava tudo bem. Eu disse “sim, é só o livro. É muito triste!”. Não sei se ela quis me bater por essa resposta ou não, mas sei que demorei ainda um bom tempo para conter as lágrimas!

E vocês? Já se emocionaram com alguma leitura? Estou doida para saber se eu sou a única e quais os livros que tocaram nos coraçõezinhos de vocês a ponto de fazerem as águas, ou lágrimas, brotarem em seus olhos?

Até a próxima.

*.*

 

Comentários

Comentários

2 Comments

  • comment-avatar
    Tony Lucas 1 de abril de 2017 (21:59)

    Oi, MaH! Tudo bem? Não li Como Eu Era Antes de Você, mas chorei bastante com o filme. Também derramei algumas poucas lágrimas com A Culpa é das Estrelas!

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br

    • comment-avatar
      Marina Herrador 13 de abril de 2017 (16:21)

      Esses livros/filmes “chorantes” são uma coisa, viu?!