Primeiras impressões: Young Sheldon

As origens de um gênio antissocial!

O spin-off encomendado pela CBS, estreou na última segunda-feira na TV americana e tem a simples premissa de contar a história do pequeno Sheldon, com sua inteligência fora do comum e  apenas nove anos de idade, que tem que enfrentar o ensino médio, viver em meio a uma família desestruturada diante da crença religiosa de sua mãe e a convivência com seus irmãos.

Young Sheldon não é uma comédia com plateia, como também não tem risadas de fundo, que muda completamente o tom da série, diferentemente da sua série de origem, The Big Bang Theory. Outro ponto é a narração de Jim Parsons como Sheldon adulto, a proposta é deixar o personagem mais íntimo dos telespectadores, mas acredito que sem a narração a história poderia ser contada de maneira satisfatória.

 

♦ O ELENCO

A escalação do elenco é um dos grandes acertos de Young Sheldon. O pequeno Iain Armitage (Sheldon Cooper criança), que brilhou em Pequenas Grandes Mentiras (Big Little Lies), mantém os trejeitos e características que Jim Parsons trouxe para o Sheldon Cooper adulto, com todas as suas manias e esquisitices o personagem contém a doçura e a leveza da criança. Zoe Perry (Marry Cooper) que é filha de Laurie Metcalf, que interpreta Marry em The Big Band Theory, é outra escolha certa, mãe zelosa e preocupada com o pequeno gênio, seu entrosamento com o Iain  Armitage é um dos pontos chaves do primeiro episódio.

Tenho que destacar a Raegan Reavord, Missy Cooper, a irmã gêmea de Sheldon, a menina tem sarcasmo e muito share pra jogar. Destacando-se ao longo do episódio, promete  ser uma das favoritas dos fãs ao longo da temporada.

 

♦ A SÉRIE E O ROTEIRO

Sabe-se que o tom definido pelos roteiristas para a série é o da comédia e, neste quesito as piadas são boas, bem colocadas, num bom tempo, deixam o pequeno Sheldon chato quando deve ser, semelhante ao seu eu adulto, mas nada que interfira, é apenas mais uma característica acrescida ao personagem. Ao longo do episódio piloto você percebe que a série não terá o enfoque apenas em Sheldon, mas sim na dinâmica familiar e em como eles vão lidar com uma criança diferente das demais.

 

Acredito que a série tem tudo para ser um sucesso, semelhante a The Big Bang Theory, pois preenche os requisitos que todo fã quer: referência a cultura e sua ambientação, neste caso, o final dos anos 80 e saudosismo maior que esse não têm, vê-se diversas séries atuais com esta temática.

Após a apresentação especial do episódio de estréia que aconteceu em 25 de setembro, nos EUA, a CBS encomendou uma temporada completa com 22 episódios. Young Sheldon retorna em 2 de novembro, com episódios semanais, todas as quintas-feiras. No Brasil, o primeiro episódio será transmitido pela Warner, no próximo dia 8 de outubro às 22h25.

 

Comentários

Comentários

6 Comments

  • comment-avatar
    Tami 6 de outubro de 2017 (02:31)

    Olá, Thiago, bem-vindo ao blog! \o/

    Eu não assisto TBBT. Meu namorado gosta e já aconteceu de eu estar com ele e dele estar assistindo, mas eu sempre ficava mexendo no celular ou fazendo uma outra coisa, pois eu realmente não acho graça. Hahaha
    Tenho um pequeno problema com comédias… sou mais do tipo que assiste séries polícia e dramáticas.

    Beijos
    – Tami
    http://www.meuepilogo.com

    • comment-avatar
      Thiago Maciel 6 de outubro de 2017 (18:32)

      Tami, muito obrigado!

      Vou confessar que vi as três primeiras temporadas e depois abandonei a série, mas prometi que num futuro próximo, farei maratona para ficar em dia.
      Gosto bastante de comédias, como New Girl, Modern Family, Will & Grace (a melhor), mas adoro um drama, ficção cientifica… gosto de tudo, sou um viciado, admito! rs

      Volte sempre e com mais comentários.

      Grande beijo.

  • comment-avatar
    Renata Varela 6 de outubro de 2017 (12:40)

    Vi uma entrevista do Jim Parsons dizendo que ele é produtor executivo da série (ou algum cargo grande assim hahaha), e que ele veio com a ideia de Young Sheldon. Achei maravilhosa essa ligação do ator com o personagem, e achei que a narração faz meio parte desse “dedo” do Jim na série. Eu gostei da forma que a história é contada, e não ter platéia pra mim é logo positivo.
    Concordo com você que tem futuro e promete ser um sucesso.
    Beijos,
    E seja bem-vindo, Thiago 🙂

  • comment-avatar
    Thiago Maciel 6 de outubro de 2017 (18:43)

    Renata, muito obrigado pelo seu comentário!
    Então, o Jim Parsons é produtor executivo, como também a ideia da série foi dele, só repassou a idéia e deu no que deu, uma temporada garantida! rs
    Tanto para o Jim, quanto para o pequeno Iain, o papel de Sheldon parece que foi feito sob medida, os dois tornaram-se Sheldon, a sintonia dos dois deixa crível para o telespectador que acompanhou a série original, pelo menos um pouco.
    Ouvi pessoas falando que não curtiram a narração do Jim, mas acredito que é um dos pontos chaves da série e sem a presença da platéia você vai para uma outra vertente da comédia.
    Vamos aguardar até novembro e ver o que acontece com o pequeno gênio.

    Volte sempre!

    Grande beijo

  • comment-avatar
    Marina Herrador 6 de outubro de 2017 (19:58)

    Depois de mil convites ele resolveu aceitar!!! 🙂
    Bem-vindo a este modesto mundinho, Thi! É só deixar a imaginação e as palavras fluírem.

    Bjs*.*
    MaH

  • comment-avatar
    Thiago Maciel 7 de outubro de 2017 (04:14)

    Todos os convites foram aceitos, faltava tempo! rs
    Vamos ver como dar conta das séries todas..rs
    Eu agradeço o convite a as boas vindas!

    Beijo