Cinder, de Marissa Meyer

Oi, gente.

Não é novidade para vocês, acredito eu, a quedinha que tenho por contos de fadas e quaisquer assuntos relacionados a isso ou adaptações. “As Crônicas Lunares, série composta por quatro livros em que as personagens possuem ligação entre si, porém em cada uma delas é um conto de fadas que ganha uma releitura. Sendo assim, claro que eu não poderia deixar de fazer a leitura da série, de Marissa Meyer. Começando pelo primeiro livro, Cinder, uma adaptação futurística do conto da Cinderella, vou contar a vocês o que achei.

CINDERcinder_1368061312b

(Crônicas Lunares – Livro 1 / Lunar Chronicles)

Autora: Marissa Meyer

Ano: 2013 / Páginas: 448

 

SINOPSE: Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica. Primeiro volume da série Crônicas Lunares, Cinder une elementos clássicos e ação eletrizante, num universo futurístico primorosamente construído.

Avalia5

♥♦♣♠

Se você espera por alguma adaptação nua, crua e descarada de contos de fadas, esqueça. Possui traços, sim, que nos permitem conexão com as persongens originais. Situações, descrições e atitudes que nos revelam aquela personagem que foi a inspiração. No entanto, a distopia criada por Marissa Meyer, em seu primeiro romance, nos leva a um mundo futurístico, totalmente palpável e provável.

Após mais uma Grande Guerra, estamos na 3ª Era da humanidade. Pessoas, androides e ciborgues convivem, de certa forma, amigavelmente. Uma nova peste está dizimando a humanidade, os poucos humanos que restam. E ciborgues estão sendo utilizados – voluntaria ou involuntariamente – como cobaias.

Cinder é uma ciborgue. Sabemos pouco sobre seu passado, mas seus pais foram mortos em um acidente com um aerodeslizador e ela, por milagre, sobreviveu. As cirurgias para transformá-la em ciborgue a fizeram sobreviver. Graham, seu pai adotivo, foi mais uma vítima da peste e faleceu há pouco tempo. Restaram a Cinder sua madrasta, que agora é sua tutora – para não dizer dona – e suas “irmãs”, ou melhor dizendo, filhas da sua madrasta. Bom, a semelhança da personagem não está somente no nome, não é mesmo? A única diferença é que a nossa Cinder é a ciborgue que é a melhor mecânica da cidade e, por ter esta fama, acaba sendo procurada pelo Príncipe Kai para que conserte seu androide, braço direito.

foto_cinderEm meio a esta trama temos a nossa revolução, claro. Existe uma população não terrena, os Lunares, que não são lá um povo muito pacífico. Levana, a rainha de Luna, é uma criatura nada amigável, que está constantemente ameaçando o acordo de paz que ainda existe. O futuro é muito incerto, pois temos um Imperador infectado com a peste, a corrida contra o tempo para arrumar uma cura, as ameaças de Levana e a os que aqui restaram, por sua vez, ficando cada vez mais vulneráveis.

O acordo de paz que ainda vigora entre Luna e a comunidade das Nações Orientais, mais precisamente, Nova Pequim, onde nossa historia se passa,  está prestes a ser quebrado e, podem ter certeza, o meu jejum de livros que me faziam devorar as palavras e terminar a leitura também se quebrou – ainda bem! Obrigada Marissa Meyer.

Confesso a vocês que esperava um plot twist um pouco mais pontual. A trama foi se conduzindo de uma maneira que mais ou menos na metade do livro já conseguia deduzir bem qual seria o caminho. E não errei quase nada em meus palpites. Se isso fez com que eu desanimasse? Não mesmo! A leitura seguiu no mesmo ritmo e tão interessante quanto estava antes.

Realmente recomendo a leitura da série Crônicas Lunares. Ótimo entretenimento e com uma roupagem bem interessante sobre os contos de fadas. Em breve, com certeza falarei a vocês sobre o desenrolar dessa série.

Contem pra mim, vocês gostam de releituras? Já conheciam esta série? Quero muito saber…

Até a próxima.

*.*

Comentários

Comentários

7 Comments