Extraordinário, de R.J. Palácio

 

 

Oi Gente!
Hoje vamos falar de um livro fofíssimo que li no final do ano passado. Fiquei muito satisfeita em escolher esse livro para encerrar as leituras de 2014, pois posso dizer que foi um ano em que encerrei as leituras com chave de ouro!

 

Vou contar a vocês as minhas impressões sobre Extraordinário, de R.J. Palácio.

Confesso que iniciei a leitura me decepcionando um pouquinho, achando bem bobinho. Pensei: o que todo mundo vê de tão icnrível nesse livro, que fala de uma criança que é diferente fisicamente das outras, mas que a trama em si não traz nada de tão excepcional e inédito? Afinal, histórias sobre crianças sofrendo bullyng para se adequar em uma novo colégio, em um novo grupo de amigos e etc, não são uma grande novidade…
Bom, a diferença de Extraodinário começa na prórpia descrição de Auggie Pullman – sim, pra mim é Auggie porque me afeiçoei ao garotinho! -, que não tem absolutamente nada de normal em seu rosto. Imaginei ele de diversas formas, mas acho que não consegui nem chegar perto de como ele é de verdade. Portador de diversas síndromes, o pobrezinho ganhou na loteria duas vezes: a do azar, por ser portador de síndromes raras que fizeram com que ele fosse muito – muito – diferente, e também na sorte grande, por ter uma família que o ama incondicionalmente.
No decorrer do livro temos a hsitória contada, em momentos diferentes, pelo ponto de vista de Auggie, pelo ponto de vista da sua irmã, de seu namoradinho e também pelo novos colegas de turma que Auggie conquista no decorrer da trajetória.
Nesse ano de transição e adaptação na escola nova, que não é muito fácil pra ninguém, Auggie passa por diversos altos e baixos, mas nunca deixa de lado seu bom coração e o lado otimista de ver as coiasa e encarar as situações.
A autora narra tudo, da perspectiva dos personagens, de maneira simples, singela e cativante. Não é uma leitura muito rebuscada. É fácil percorrer pelas páginas desse livro e se afeiçoar aos personagens, que como todo ser humano têm seus pontos fracos e fortes, e encaram algumas mazelas de caráter, que nos fazem refletir sobre o que é certo ou errado.
Mais do que difundir a mensagem antibullying, a autora consegue nos mostrar que é perfeitamente normal nos questionarmos diante do que é diferente, mas que o tem que prevalecer é o caráter e a bondade no coração.

“Minha mãe me abraçou mais apertado, se inclinou e deu um beijo no alto da minha cabeça. – Eu que agradeço, Auggie – respondeu ela. – Pelo quê? – Por tudo o que nos deu. Por entrar nas nossas vidas. Por ser você. Inclinou-se de novo e sussurrou em meu ouvido: – Você é mesmo extraordinário, Auggie. Você é extraordinário”

Sinopse:
August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade… até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

 

Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade – um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.
Autor: R.J. Palácio
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Ano: 2013 (1ª Edição)
 
 
 

Comentários

Comentários

2 Comments