Livros recomendados para todas as idades

Oi, gente.

É bem comum categorizarmos os livros em gêneros, mas também pela idade ao público a quem aquela história seria destinada. No entanto, não há problema algum, e é mais do que comum, que esta categorização não exista tanto no aspecto prático do ato de ler. É o caso de adultos que gostam, curtem e acompanham, por exemplo, livros dedicados ao público infanto-juvenil, ou até mesmo aquele pré adolescente, que como eu, já gosta de um bom suspense, normalmente indicado ao público adulto. Mas hoje, aproveitando o gancho do Dia das Crianças vou falar de alguns livros que toda criança grande deveria ler.

Eu não sei vocês, mas com certeza eu ainda tenho uma criança que habita em mim. Na verdade, acho que todos nós deveríamos, mas acontece que com o tempo vai ficando difícil não sufocar, a vida adulta nos cobra tanto que às vezes esquecemos talvez do que realmente importa e de tentar enxergar a vida com um pouco mais de leveza.

Já aproveitando a deixa dessas palavras, o primeiro livro clássico dos clássicos que todo adulto deveria ler, com certeza é O Pequeno Príncipe. Esta leitura eu acredito que deveria ser feita em diversos momentos da vida e com certeza a cada uma delas sua interpretação será completamente diferente e ainda terá um ensinamento novo para carregar. Confesso que a primeira vez que fiz a leitura desse livro já tinha lá pelos 20 anos e, apesar de conhecer bastante sobre a história e sobre o queria Princepezinho e a queria Raposa, não imaginava o quanto esta história me cativaria e hoje, após ter feito a leitura em três momentos bem distantes, digo que a cada uma delas fico mais e mais apaixonada pelas palavras de Antoine de Saint-Exupéry.

Dando um salto para uma obra mais contemporânea, responsável por introduzir muita gente ao mundo da leitura – pelo menos da minha geração – Harry Potter pode até parecer bobinho, ter uma trama previsível ou sei lá o que mais já ouvi por aí dos “antis”, mas não há como negar que é um universo que te convida a imergir em toda aquela magia. Até aquele momento, bruxas eram velhas, enrugadas e com verrugas no nariz, quem diria que uma menina linda e inteligentíssima seria uma das bruxinhas mais amadas do mundo como é a Hermione? Só tenho a agradecer a J.K. Rowling pelo presente que nos deu criando este mundo mágico e acreditem, são livros indicados para todas as idades, a prova disso é que até o 4º livro, Harry Potter e o Cálice de Fogo, a minha avó ficava me acelerando para que eu terminasse logo a leitura para passar o livro a ela…mas, infelizmente ela não conseguiu me acompanhar e terminar a série.

 

Maurício de Souza foi outro gênio que criou personagens e histórias que transcendem a todas as idades. São gerações e gerações que acompanham A Turma da Mônica e, claro, todas as suas evoluções como A Turma da Mônica Jovem, por exemplo, mas queria indicar a toda criança grande a leitura das graphic novels da Graphic MSP. As histórias são tocantes e os traços, maravilhosos, nesse caso, a meu ver, unimos a maturidade de traço e roteiro, com os personagens queridos de sempre em nossos corações.

 

Com certeza que, para finalizar Lewis Carroll apareceria em minha humilde listinha. Na verdade, eu realmente acho que Alice no País das Maravilhas nem deveria ser tratado como um livro infantil. A narrativa é de uma complexidade tamanha e cheia de metáforas que, tenho certeza que se não fosse Walt Disney, a pequena Alice seria uma grande desconhecida, ao meu ver, do público mais jovem. Já ouvi, inclusive, muitas críticas sobre o efeito Disney sob as coisas, histórias e personagens e eu não sou contra acho que amplia a visibilidade

de muitas obras como Alice, que acabamos de citar e até mesmo obras dos irmãos Grimm, por exemplo, mas isso é um debate para outro dia. Voltando ao foco, citei aqui alguns poucos que tendem a ser tratados como literatura única e exclusivamente infantil, mas que acho sim que deveriam ser lidos por cada vez mais adultos. Resgate a criança que há dentro de você e não ligue para aqueles que tem preconceitos por estereótipos, classificações ou determinações…o que importa é ser feliz e brincar de viver, o resto é perda de tempo e intriga da oposição

 

 

Até a próxima.

*.*

 

Comentários

Comentários

2 Comments

  • comment-avatar
    Diego França 14 de outubro de 2017 (03:04)

    Oi, Mah! =)
    Feliz dia das crianças, atrasado. Eu amo criança, amo ser criança. Não deixo esse danado Dinho sair de mim nunca.
    E sim, O Pequeno Príncipe pode ser lido em vários momentos de nossa vida e, ainda assim, apresentar reflexões ricas na gente.
    E fato, Alice é considerada literatura infantil, mas é bem complexa. No entanto, o que mais gosto nisso tudo é que o mundo maravilhoso de nossa Alice amada não subestima a capacidade de entendimento do pequeno leitor como muitos fazem por aí.

    HP eu não li, só assisti, no entanto… Até minha avó gosta de assistir.
    Maurício de Souza nem se fala… o tempo passa e seus personagens continuam fazendo a festa na vida dos leitores.

    Xoxo, Di.
    http://www.blogvidaeletras.blogspot.com

    • comment-avatar
      Marina Herrador 17 de outubro de 2017 (18:41)

      Oi, Di!
      Não devemos deixar nossas crianças (interiores) fugirem nunca, nunquinha! É isso que torna a vida um pouco mais fácil…
      E não quero mais ser sua amiga porque você não leu HP. Estou julgando mesmo!!! rs
      Bjs*.*