Troféu Literário 2017: As sensações

Oi, gente!

Continuando as escolhas para 2017, hoje vamos falar de sensações, do que os livros nos despertaram ou aqueles que mais marcaram.

Vamos lá!

As sensações

O beijo que me fez suspirar – Maggie May e Brooks, de O silêncio das águas |  É um casal sem explicação… só suspiros!

O trecho que mais me marcou – A denúncia, em Nunca olhe para dentro | Sendo cautelosa para não dar spoiller, o momento da denúncia que existe nesse livro é algo marcante, até mesmo porque é necessário, é preciso e tomara que tenha marcado e encorajado pessoas.

A história que mais me inspirou – Vidas muito boas, de J.K. Rowling | É sobre superação, encorajamento, vitórias e derrotas. Esse foi o livro certo, na hora certa para mim.

O livro que acabou com as minhas lágrimas – A Chama dentro de nós, de Brittainy C. Cherry | A ficção que se aproxima da realidade me emociona. Personagens possíveis me arrebatam. Dilemas e problemas passíveis de acontecerem na vida real, me debulham. Foi o que aconteceu com essa leitura.

A trama que me causou arrepios – Jantar Secreto, de Raphael Montes | Não só arrepios, mas muita dor de estômago também, viu? Olha só… foi realmente uma mistura de sensações!

O crime que me pegou de surpresa – Jantar Secreto, de Raphael Montes | Vale repetir o mesmo livro em muitas categorias, né? Bom, Jantar Secreto foi um livro que me surpreendeu muito positivamente. Não achava que o conteúdo e a narrativa seriam incríveis e também não imaginava que um banquete sangrento entraria no meu rol de livros favoritos. Surpresas da vida, né?

As escolhas de 2017 estão quase no fim.

Amanhã teremos o último post da retrospectiva de 2017.

Até a próxima!

*.*

 

Veja também…

Troféu Literário 2017: Os melhores e piores

Comentários

Comentários

2 Comments